ACS condena PEC Emergencial, que pode congelar salários e promoções até 2025 - ACS PMBM MS
quarta-feira, dezembro 8 Telefone: (67) 3387-8501

ACS condena PEC Emergencial, que pode congelar salários e promoções até 2025

Compartilhar

A ACS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul), em conjunto com a Anermb (Associação Nacional das Entidades Representativas dos Militares Brasileiros), demonstra preocupação com a PEC 186/19, conhecida como “PEC Emergencial”.

A proposta, já aprovada no Senado em dois turnos de votação, autoriza o Governo Federal a pagar um auxílio emergencial em 2021 com R$ 44 bilhões fora do teto de gastos.

Ela também impõe mais rigidez na aplicação de medidas de contenção fiscal, controle de despesas com pessoal e redução de incentivos tributários, o que pode deixar servidores da segurança pública sem progressão e aumento de salários até 2025.

“Esse projeto vem, mais uma vez, nos prejudicar. A todos, conclamamos para que, neste momento, procure seu deputado federal. Precisamos do apoio deles hoje. Contamos com a ajuda de todos”, disse o presidente da ACS, cabo Mario Sérgio Couto.

A Anermb divulgou um comunicado, nesta quarta-feira (10), alertando que a proposta deverá ser votada ainda hoje, também em dois turnos, na Câmara dos Deputados. As entidades querem que as forças policiais sejam excluídas do congelamento de salário e promoções.

“Esperamos que o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, cumpra com o compromisso que fez com as forças policiais e reveja esse posicionamento da equipe econômica”, diz a nota.

Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da ACS

ACS: Gestão presente, solidária e participativa

One Comment

  • Vanderlei araujo

    Voceis acham que eles estão preocupados com policial acordam eles acabaram de aprovar um sps militar pra aposentado e pencionista inconstitucional e niguem falou nada um governo que vai para 8 anos e nunca repôs a infração vai esperar o quê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *