segunda-feira, junho 17
Shadow

ACS questiona reportagem que ‘denuncia’ suposto surto de covid-19 no Cefap

A ACS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul) recebeu com estranheza as “denúncias” de aglomeração e um suposto surto de covid-19 durante treinamentos do CFS (Curso de Formação de Sargentos) da PMMS, em Campo Grande.

Nesta terça-feira (06), um jornal online da Capital divulgou matéria relatando a “não utilização de máscaras durante treinamentos do Cefap (Centro de Ensino, Formação e Aperfeiçoamento de Praças da Polícia Militar), nas categorias de soldado e sargento, realizados no Batalhão de Choque”.

Segundo o presidente da ACS, cabo Mario Sérgio Couto, o curso foi realizado, quase em sua totalidade, de forma EAD. “Todos os alunos estiveram em suas residências e os instrutores ministraram aulas online”, garantiu.

A matéria ainda utiliza fontes não oficiais, anônimas, para sustentar informações imprecisas. Cita, por exemplo, um boletim médico de um sargento que esteve internado com covid-19 e seu estado era considerado “grave” e “em piora”. O próprio militar desmentiu a reportagem: ele garantiu ter participado do curso de forma online, sem contato com os demais alunos.

Todas as demais fontes oficiais ouvidas pela reportagem negaram as informações, inclusive a própria ACS.

Além disso, as aulas presenciais, indispensáveis à formação dos policiais, foram realizadas dentro do protocolo de biossegurança elaborado pelo Comando-Geral da Polícia Militar.

“O Comandante-geral providenciou um plano de biossegurança que deu total apoio para que não houvesse contaminação. Dentro do Cefap, era obrigatório o uso de máscaras e disponibilização de álcool em gel. Todo o tempo era realizada uma fiscalização e, quem não fizesse o uso, responderia pelo ato”, continuou o presidente da ACS.

Outra “denúncia” que causou estranheza, também utilizando como fonte um suposto aluno, foi sobre a formatura ser realizada de maneira presencial. “Em momento algum isso foi confirmado pelo Cefap, tampouco pelo Comandante-geral. O último CFS não teve sua formatura na forma presencial devido às medidas restritivas”, seguiu.

Por fim, o presidente da ACS ainda agradeceu o comandante-geral da PM, coronel Marcos Paulo Gimenez, e o comandante do Cefap, tenente-coronel Marcelo Santos do Amaral, que não têm medido esforços para dar continuidade aos cursos de formação, imprescindíveis para a carreira dos militares.

“É de suma importância que esses cursos não sejam interrompidos por conta de notícias sem fundamento. Confiamos plenamente nos protocolos elaborados pelo Comando. Há militares que aguardam suas promoções por anos, e uma paralisação nos certames prejudicaria não só os policiais, mas também suas famílias”, finalizou.

Assessoria de Imprensa da ACS

ACS: Gestão presente, solidária e participativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *