VÍDEO: Em reunião com Governo, Cabo Couto apresenta mazelas da tropa, clama por valorização do policial e intercede pelos inativos - ACS PMBM MS
quarta-feira, dezembro 8 Telefone: (67) 3387-8501

VÍDEO: Em reunião com Governo, Cabo Couto apresenta mazelas da tropa, clama por valorização do policial e intercede pelos inativos

Compartilhar

Em reunião com representantes do Governo do Estado, nesta sexta-feira (23), o presidente da ACS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul), cabo Mario Sérgio Couto, apresentou as mazelas da tropa e voltou a pedir por valorização dos militares estaduais.

“Nesses três anos que estou a frente da ACS, sou um cara pacificador, que tem diálogo. Mas, hoje, estou estressado. Chegamos no limite, secretário. Não temos mais condições de esperar. Todos os dias chega na ACS alguém chorando pra comprar um gás ou uma cesta básica. Falo de um público que trabalhou 30 anos na Polícia Militar, quando a corporação não tinha a mínima estrutura. Esses cidadãos estão à beira de um colapso, não têm mais condições de resistir”, disse.

Participaram da reunião a secretária da SAD (Secretaria de Estado de Administração), Ana Carolina Nardes, o adjunto da pasta, Édio Viegas, e o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, além de representantes de outras associações.

“Para mim, está um caos. Esses policiais e bombeiros militares perderam 10,5% dos seus salários. O Governo tem obrigação de promover e pagar salário em dia. Isso não resolve o problema dos nossos policiais, principalmente os inativos. Nossos inativos estão no desespero total, principalmente a carreira dos praças. Esse projeto de reestruturação é a única saída”, completou Couto.

Na reunião, os representantes do Governo se comprometeram em analisar as peculiaridades de cada categoria para apresentar um índice de reajuste, tendo em vista a proximidade da data-base.

Confira o vídeo:

2 Comments

  • RENATO ZOCCANTE MARQUES

    Além do Subsídio, os policias tem compromisso com sua localidade de atuação. Se o CFC não for regionalizado por Batalhões, cidades que já sofrem com o déficit de efetivo ficará mais desamparadas.

  • Manoel Amauri da Silva

    Até que fim Presidente Couto o Sr. manifestou a realidade dos praças. Verdade que o Sr. é um pacificador, porém, é necessário muitas vezes ficar estressado e dá uma de louco. Se o nosso representante da Acs não cobrar direitos os representantes do governo estadual monta encima da inércia e faz de bobo as instituições PMS, digo as Associações . E irmãos PMS irão chamar líderes de Associações de políticos partidários coligado a governador. Aquartelamento já. Com a pandemia houver aquartelamento o governo sairá da inércia. E reconhecerá o direito do PM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *