ACS amplia acolhimento e inicia atendimentos a domicílio com assistente social - ACS PMBM MS
quarta-feira, dezembro 8 Telefone: (67) 3387-8501

ACS amplia acolhimento e inicia atendimentos a domicílio com assistente social

Compartilhar

Ampliando o acolhimento que dá aos sócios desde o início da atual gestão, a ACS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul) iniciou, no mês de março, uma série de visitas à inativos e pensionistas com uma assistente social.

Segundo o presidente da entidade, cabo Mario Sérgio Couto, o objetivo é realizar estudos e pesquisas para propor novas medidas de atendimento ao sócio, além de orientá-los, auxiliando na identificação de recursos e possibilitando acesso às ações da ACS.

“Temos mais de 3400 associados e queremos, desta forma, nos aproximar ainda mais, saber das reais necessidades para poder ajudar no que for preciso, nas áreas de saúde, previdência, habitação, assistência social e na esfera jurídica.”, explicou.

A assistente social designada para o serviço é a 2º SGT PM Ref Joscynelia Costa, que possui um amplo trabalho na área.

“A ACS, com esse trabalho de serviço social em ação, está fazendo o acolhimento devido aos associados. Vamos atuar no campo das políticas sociais com o objetivo de viabilizar direitos dos sócios”, garantiu.

O trabalho de serviço social, agora, soma-se ao atendimento psicológico que também é oferecido gratuitamente na ACS, ampliando ainda mais o amparo aos associados.

“Fui eleito com um propósito de Deus, e esse propósito é o de fazer justiça social no meio de todos. Estou falando daqueles que estão esquecidos e não têm onde recorrer nos seus anseios e direitos. Eles saberão que existe um presidente que comprou a sua causa social em todos os aspectos”, finalizou Couto.

Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da ACS

ACS: Gestão presente, solidária e participativa 

One Comment

  • Manoel Amauri da Silva

    Há mais de 04 anos tô acamado e solicitei ajuda da Acs e do Faf não fui atendido. Sou sócio das duas instituições e me foi negado ajuda. Também solicitei ajuda do meu batalhão tbm fui ignorado. Tentei 02 suicídios e não obtive êxito. Ajuda psicológica só existe na capital no interior estamos jogados esperando a morte chegar. Cada vez que leio o site da Acs fico cada vez mais indignado e com raiva. Sou sócio da Acs desde a fundação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *