Notícias | 03.julho.2017

Governo propõe 2,94% de reajuste linear; ACS vê proposta como ‘absurda’

Representantes de classe falam com os servidores em frente a Governadoria. (Foto: Adilson Domingos)

Representantes de classe falam com os servidores em frente a Governadoria. (Foto: Adilson Domingos)

Durante mais uma rodada de negociação, na tarde desta segunda-feira (03), o Governo do Estado propôs um reajuste linear de 2,94% para todo o funcionalismo público, inclusive policiais militares e bombeiros, a partir de outubro. A proposta será apreciada pelos militares estaduais em assembleia geral, convocada pela ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), em data a ser marcada.

“Isso é um absurdo. Vamos levar para assembleia geral e até o dia 10 temos compromisso de tratar da reestruturação da política salarial. Mantemos aqui o acampamento junto com o Sinpol, já que estamos acompanhando desde a primeira semana, e vamos manter até o último dia. Quando o Governador nos receber, a partir daí, levantaremos acampamento. Só sairemos daqui quando a verticalização estiver decidida”, afirmou o presidente da ACS, Edmar Soares da Silva.

Segundo o secretário Estadual de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, a proposta incidirá um impacto de R$ 11 milhões mensais nas contas do Estado. “A proposta é muito em função da situação do Estado, fruto da conjuntura nacional. Temos obrigações a cumprir para manter o alongamento da dívida. A responsabilidade do Estado é manter o equilíbrio fiscal. Um reajuste geral maior que esse não é possível”, afirmou.

Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da ACS


Curta Nossa Página no Facebook