Notícias | 13.março.2018

Brasília: Edmar participa de audiência sobre assassinato de policiais em serviço

O presidente da ACS, Edmar Soares da Silva. (Foto: Fabiana Silvestre/ALMS)

O presidente da ACS, Edmar Soares da Silva. (Foto: Fabiana Silvestre/ALMS)

O presidente da ACS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, participa hoje de audiência pública, na Câmara dos Deputados, para avaliar o crescente número de agentes de segurança pública mortos em serviço. O debate foi pedido pelo deputado Cabo Sabino (PR-CE) e começa partir das 13h30 (horário de MS).

Segundo a Ordem dos Policiais do Brasil, foram registrados os óbitos de 542 homens e mulheres em 2017, 43 a mais que 2016. Cada vez mais, policiais civis, militares, federais, rodoviários federais, ferroviários, agentes penitenciários, de trânsito, legislativos, guardas municipais, portuários e bombeiros são vítimas da violência.

O estado com maior número de mortos é o Rio de Janeiro com 163, seguido de São Paulo, Bahia, Ceará e Pará. Os profissionais que mais morrem são os PMs com 362, seguidos dos policiais civis e agentes penitenciários.

Além do diagnóstico da insegurança pública, que também atinge os policiais, será discutido o Projeto de Lei (PL 5492/16) que garante o pagamento de adicional de periculosidade para os agentes de segurança. Pela proposta do deputado Cabo Daciolo (PTdoB-RJ), o adicional deve equivaler, no mínimo, a 30% da remuneração.

O projeto de lei que garante adicional de periculosidade para os policiais já foi aprovado na Comissão de Segurança Pública. O texto está em análise agora na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público onde o relator, deputado Cabo Sabino, já apresentou parecer favorável, com algumas alterações na proposta original.

Jeozadaque Garcia
Com assessoria de Imprensa da Câmara dos Deputados


Curta Nossa Página no Facebook