ACS || ACS questiona projeto de lei que altera limite de idade para PMs voltarem à ativa |

Notícias | 12.abril.2018

ACS questiona projeto de lei que altera limite de idade para PMs voltarem à ativa

Para Couto, proposta pode abrir margem para o Executivo aumentar o tempo de efetivo serviço do servidor. (Foto: Jeozadaque Garcia)

Para Couto, proposta pode abrir margem para o Executivo aumentar o tempo de efetivo serviço do servidor. (Foto: Jeozadaque Garcia)

O presidente da ACS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul), Cabo Couto, levantou questionamentos sobre o projeto de lei que prevê alteração do limite de idade para que os militares estaduais que recebem aposentadoria proporcional voltem à ativa por meio do Corpo de Voluntários da Reserva Remunerada.

Para ele, a proposta pode abrir margem para o Executivo aumentar o tempo de efetivo serviço do servidor para 35 anos -atualmente, o policial contribui por 30 anos antes de se aposentar.

“Surpreende a proposta partir de um cabo da Polícia Militar, já que privilegia um grupo pequeno em detrimento de uma tropa. É necessário manter vigilância em todas as propostas que tramitam na Assembleia Legislativa que dizem respeito aos policiais e bombeiros militares”, resumiu Couto.

De autoria do deputado estadual Cabo Almi (PT), o projeto prevê que o limite atual de 60 anos seja ampliado para 65 anos, como forma de dar possibilidade aos militares que desejam continuar à serviço do Estado incrementarem suas remunerações.

Durante a sessão de terça-feira, em que apresentou a proposta, Almi citou justamente o grupo de 100 policiais que seriam beneficiados caso a lei seja aprovada.

Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da ACS


Curta Nossa Página no Facebook